segunda-feira, 24 de julho de 2017

Mais uma receita... mais um risoto...

Pois é... Mais uma receitinha de risoto! Fazer o quê se ele combina tão bem com este friozinho?

A receita de hoje usa a base do risotto bianco e só finaliza com os ingredientes que vão dar sabor ao risoto. Super prático! Foi assim que fiz no último final de semana para receber uns amigos queridos.

No cardápio do dia era possível escolher entre dois sabores de risoto. Aliás, todas as receitas do cardápio do dia você pode encontrar aqui no blog:
Camembert ao forno de entrada,  risoto ao pesto com tomates assados ou risoto de cogumelos e crudités (mini legumes) como prato principal e goiaba frita de sobremesa.

Para o risoto de cogumelos e crudités, siga os passos abaixo. A apresentação não fica linda?


Risoto de Cogumelos e Crudités

Fatie cogumelos Paris (uma bandeja para cada 2 pessoas) e refogue até dourar na manteiga com um pouco de azeite, alho picado finamente, sal e pimenta-do-reino a gosto. Reserve.

Inicie o preparo do risoto conforme receita logo abaixo. Coloque os legumes para cozinhar no caldo do próprio risoto e acompanhe o seu cozimento que é bem rápido. Retire os mini-legumes quando estiverem ainda firmes e não muito cozidos.

Após finalizar o risoto, sirva imediatamente e coloque por cima os cogumelos e os legumes.
Bom apetite!!!


Risotto Bianco (do Jaime Oliver)

INGREDIENTES

1,1 litro de caldo de legumes
2 colheres de óleo de oliva
1 pedaço de manteiga
1 cebola grande descascada e picada finamente
2 dentes de alho descascados e picados finamente
400g de arroz arbóreo
2 taças de vinho branco seco
sal e pimenta do reino
70 g de manteiga
120g de queijo parmessão ralado na hora

Etapa 1 – Esquente o caldo. Em uma panela separada, aqueça o óleo de oliva e a manteiga. Adicione a cebola e o alho e cozinhe bem lentamente por cerca de 15 min, sem dourar. Isso é chamado de soffrito. Quando estiverem tenros, acrescente o arroz e aumente o fogo.

Etapa 2 – O arroz começará a fritar levemente, portanto continue a mexer. Após 1 minuto. ele ficara um pouco translúcido. Adicione o vinho, sem parar de mexer – o aroma é fantástico! Qualquer sabor forte do álcool irá evaporar e deixar o arroz com uma essência deliciosa.

Etapa 3 – Quando o vinho for absorvido pelo arroz, acrescente a primeira concha de caldo quente e 1 boa pitada de sal. Abaixe o fogo para que a parte externa do arroz não cozinhe muito rapidamente. Continue adicionando conchas de caldo – misture e massageie o amido cremoso do arroz, esperando que cada concha seja absorvida antes de despejar a próxima. Isso levará uns 15 min. Experimente para checar se o arroz está cozido. Se não estiver, continue a acrescentar caldo até que fique tenro, mas com uma leve consistência. Não se esqueça de ajustar o tempero cuidadosamente. Se o caldo acabar antes de o arroz cozinhar, ponha um pouco de água fervente.

Etapa 4 – Retire a panela do fogo e adicione a manteiga e o parmessão. Misture bem. Tampe a panela e deixe descansar por 2 min. Esta é a parte mais importante do preparo de um risoto, já que é quando ele ficará incrivelmente cremoso como deve ser. Coma o mais rápido possível, enquanto ele conservar a sua linda textura.

Rendimento: 4 a 6 pessoas






terça-feira, 16 de maio de 2017

Pão Caseiro

Não sei se já comentei antes, mas sabia que eu mesma uso muito o blog para pesquisar receitas?

Inclusive o Tantas Coisas surgiu como forma de registrar aquelas receitas que experimento e também aquelas receitas e preparos que surgem de uma inspiração momentânea e que, muitas vezes, eu mesma ficava em dúvida para repetir algum tempo depois.

Qual não foi minha surpresa quando corri aqui para buscar a receita de um pão que eu faço com certa frequência e não encontrei!





Ele é tão fácil e prático que não acreditei que ainda não tivesse postado a receita. Já que é assim, vamos corrigir logo esta falha.


Pão Caseiro Fácil

INGREDIENTES

2 ovos
350 ml de leite morno
1 envelope de fermento biológico seco
3 colheres de sopa de açúcar
1 colher de chá de sal
500 g de farinha de trigo
1 xícara de café de óleo ou azeite
2 colheres de sopa de ervas secas (geralmente divido a massa e preparo um pão sem e outro com ervas)

PREPARO

Bater os ovos, leite, fermento, açúcar, sal e óleo no liquidificador por 1 minuto.
Despejar a mistura em uma vasilha e acrescentar a farinha de trigo aos poucos mexendo bem com uma colher de pau ou de siliconte.
A massa fica mais lisa e mole e começa a fazer bolhas.
Despejar em formas de pão untadas e enfarinhadas, cobrir com um pano úmido e deixar crescer por aproximadamente 40 min.
Distribuir queijo parmesão ralado grosso por cima e levar para assar em forno médio até corar.







sábado, 25 de março de 2017

Geleia de physalis

Já faz algum tempo, plantei algumas mudas de physalis e foi uma grande surpresa! Primeiro conseguir que as minúsculas sementes germinassem e se transformassem em saudáveis arbustos. Depois, que começassem a produzir em tão curto tempo, algo em torno de 4 meses. E ainda, que continuassem produzindo após 2 anos!

Neste tempo, elas já enfeitaram sobremesas, viraram chutney e geleias. Sem contar que são uma delícia para se comer in natura
Hoje, ao preparar uma geleia, me dei conta que não tinha colocado nenhuma receitinha com eles aqui.




Então aí vamos!

Geleia de Physalis
2 xícaras de physalis já sem a casca 
4 colheres de açúcar 
120 ml de água 
1 colher de sobremesa de aceto balsâmico 

Lavar e picar os physali em 2 ou 4 pedaços cada.
Colocar todos os ingredientes em uma panela e deixar cozinhar em fogo baixo até dar ponto de geleia, aproximadamente 30 min., mexendo para não deixar agarrar.

Prontinho! Aproveite em bolos, biscoitos, torradas e onde mais sua imaginação sugerir!



sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O tempo passa...

Estava querendo compartilhar este prato aqui já fez algum tempo (imagina que foi o nosso jantar de Ano Novo!), mas ainda não tinha sobrado um tempinho.

Primeiro as férias de janeiro (já estou com saudades!) e depois o retorno ao trabalho (ainda me readaptando)...

Mas, voltando ao nosso jantar, passamos a virada do ano na casa de amigos e fizemos um risoto que ficou lindo e saboroso.

A receita já tem aqui no blog, mas a grande diferença foi acrescentar camarões passados no azeite e temperados com sal e pimenta do reino (moída na hora).


Ficou lindo de ver e, o que é melhor ainda, delícia de comer! Os sabores combinaram muito bem!!! Daqueles bons para impressionar sem muito esforço.

Em tempo, que 2017 seja de alegrias, leveza na alma e muita esperança!!!


quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Então é Natal! (ou quase...)

E num piscar de olhos chegamos ao final do ano!

Um ano confuso, para dizer o mínimo... 
Mas sempre de muito aprendizado, alegrias, conquistas e, principalmente, valores reforçados e sedimentados.
Momento e oportunidade de reflexão e de renovar as esperanças. 
Que venha 2017!!!


Este ano preparei uma decoração com materiais simples e rústicos mas recheada de muito carinho!

Carinho para receber amigos queridos.

Carinho para receber o filho mais velho que desde agosto se mudou para a França para estudar e vem para passar duas semanas (tão pouco!) em casa. 

Muiiiito amor envolvido!




As formas de tijolo antigas e garimpadas em Tiradentes e Bichinho ficaram perfeitas para acolher as pinhas, cascas secas e sementes coletadas por mim. Uma pitada de velas e laços e pronto!




Desejo um Natal de muita luz para todos!!!





quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Cogumelos

É só chegar este tempo úmido que eles também chegam!

Em todas as cores...





formas...



e tamanhos.



Enfim, por todos os lugares!


Uma pena que aqui no Brasil não tenhamos uma classificação destes seres tão lindos que podem ser muito saborosos mas também muito letais!!!

Estes branquinhos, por exemplo, tinham um aroma tão bom, que a vontade foi correr e salteá-los na manteiga...



Mas como não dá nem para pensar em arriscar, o jeito foi trazer alguns do supermercado para preparar esta receita fácil e deliciosa, inspirada em uma entradinha que experimentei no restaurante Caravela. Restaurante, que por sinal, eu super indico. Lugar lindo, atendimento muito cordial feito pelos donos e comida saborosa!



Para preparar esta receita você pode usar cogumelos paris ou portobello (nesta receita, usei duas bandejas de cogumelos paris).

Limpe os cogumelos com um pano úmido e retire os cabinhos de cada um.

Esprema um ou dois dentes de alho (ou então pique muito finamente em pedacinhos bem pequenos). Em uma vasilha misture o alho a umas 4 colheres de azeite.

Distribua os cogumelos em um recipiente que possa ir ao forno, tempere com sal e pimenta e então coloque uma colherinha de azeite e alho sobre cada um.



Regue com um pouquinho mais de azeite e leve ao forno de médio para alto por aproximadamente 30 minutos. O aroma que se desprende é fantástico e lembra os bistrôs franceses...

Sirva com uma cesta de pães quentinhos e bon appétit!!!






segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Mil folhas de berinjela

Ontem foi dia de experimentar receitinha nova com ingredientes velhos conhecidos.

E o prato foi feito a quatro mãos! A receita foi trazida pelo meu marido, que tem participado esporadicamente de uma confraria com aulas de culinária. Ele está gostando muito e destes eventos têm chegado até mim receitas novas e muito apetitosas! Até então, meu marido quase sempre ficava do outro lado do fogão, pois é um ótimo degustador das experiências culinárias. Mas, desta vez participou de toda a elaboração.

Esta receita é bem simples de se fazer, fica linda e muito, muito saborosa mesmo!


Você vai precisar de fatias de berinjela com aproximadamente 1 cm de espessura, molho de tomate caseiro bem consistente, molho pesto (veja a receitinha aqui), mussarela de búfala em manta, queijo parmesão ralado finamente e aceto balsâmico reduzido.

Para o reduzido de aceto balsâmico, você encontra a receitinha aqui, mas você pode já comprar pronto! Ontem precisei reduzir o balsâmico porque só tinha em casa um reduzido com sabor de frutas vermelhas que usei nesta outra receita e achei que não combinaria com os sabores desta entradinha.

Vamos lá?
Coloque as fatias de berinjela (conte 3 para cada torre) em uma vasilha com água e deixe por alguns minutos para sair o gosto picante. Escorra e seque bem!

Tempere as berinjelas com sal e pimenta do reino moída na hora. Grelhe as berinjelas com azeite em uma frigideira bem quente (vai sair bastante fumaça!). Outra alternativa, é colocar as berinjelas em uma forma de teflon untada com azeite e levar ao forno. O importante é que elas fiquem bem douradas dos dois lados e para isto, tanto no forno quanto na frigideira você precisará virá-las.

Deixe esfriar e comece a montar as torres nesta sequência: uma fatia de berinjela, uma colher de sopa de molho de tomate, um quadradinho de mussarela de búfala, uma colher de sobremesa de pesto. Monte três camadas.



Coloque um palito para mantar a torre em pé. Por cima, acrescente um montinho generoso do queijo parmesão.


Leve ao forno alto brevemente somente para aquecer e em seguida ligue o gratinador para gratinar o queijo parmesão. Retire o palito, sirva e enfeite com o aceto balsâmico reduzido e ervinhas da sua preferência!




Além do sabor ter superado minhas expectativas, o que achei legal desta receita é que você pode preparar tudo com antecedência e só motar na hora de servir!